Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pérolas da Urgência

37ºC não é febre

Pérolas da Urgência

37ºC não é febre

Cinco razões para casar com um médico ou médica

velhos médicos.png

 

Imagina-te a trabalhar na urgência. Estás a dar alta a uma velhinha que vem acompanhada pela neta. Entretanto, depois de explicares à senhora para que serve e como tomar cada medicamento que lhe prescreveste, ela vira-se para ti com ar maroto e diz:

 

 

- O sôtor é solteiro? É que a minha netinha também está solteira e é muito boa moça!

 

- Oh avó, não comeces! - responde a neta.

 

Ok, até aqui nenhuma novidade. Quem nunca foi cobiçado para ser esposo ou esposa do netinho ou netinha da dona Aurora, que é tão bom moço/moça e até está em idade casadoira? Toda a gente, provavelmente. Isto porque continua a vigorar no senso comum das pessoas com mais de 65 anos que ser médico é uma profissão de muito respeito e, se os teus netos não puderem ser médicos, pelo menos que se casem com um.

 

Mas infelizmente, esta maneira de pensar tem-se vindo a perder nos tempos que correm e as gerações mais novas já vão percebendo que ser a cara-metade de um sôtor nem sempre é um mar de rosas. Trabalhamos muito, passamos pouco tempo em casa e não somos assim tão ricos como isso. É o que a juventude pensa de nós. E com alguma razão. Mas hoje estou aqui para vos mostrar como é que podem virar ao bico ao prego e colocar todas essas pré-concepções em relação à nossa classe a jogar a vosso favor.

 

Hoje para vocês e só para vocês, cinco razões para casar com um médico ou médica.

 

1 – Somos invencíveis no low-cost

 

Vou começar por usar já as as big guns nesta argumentação. Uma das principais razões pelas quais toda a gente devia querer casar connosco, médicos, é que nós dominamos completamente o low-cost. E quando falo em low-cost não me refiro apenas a vôos. Até porque nós raramente voamos, não temos dinheiro para isso. E quando o fazemos, sem dúvida que é numa companhia low-cost, mas estava a ser mais abrangente na minha definição.

 

Campanhas, promoções no supermercado, descontos no combustível… É tudo a nossa praia. E de hosteis nem se fala. Com quantas mais pessoas tivermos de partilhar a camarata e o WC, melhor. Aliás, nós pernoitamos tanto em hosteis que, volta e meia quando viajo, dou por mim a discutir as últimas guidelines de sépsis com os meus companheiros de camarata.

 

Se fores daquelas pessoas que tem problemas com gastos, arranja um médico ou uma médica imediatamente. Vais ver que em seis meses, só com o que vais poupar a abastecer na gasolineira do Intermarché e a aproveitar os descontos do Lidl, vais acumular dinheiro que te vai chegar para ires de férias. Numa companhia low-cost, claro. E a pernoitar num hostel.

 

2 – Somos excelentes parceiros para dormir

 

Tens problemas em encontrar um parceiro ou parceira para dormir contigo porque ressonas como uma rebarbadora? Ou és daqueles que dá murros e pontapés durante o sono? Não há problema absolutamente nenhum, sabes porquê? Porque nós, médicos, desenvolvemos a habilidade exclusiva de conseguir adormecer em qualquer sítio, a qualquer hora, sob quaisquer condições. Numa maca no meio de um corredor perdido do hospital? Check. Num cadeirão que não reclina e chia tanto que mais parece um porco a falecer? Check. Nos transportes públicos? Check. No banco de trás do carro? Check. No banco da frente do carro enquanto o estamos a conduzir? Infelizmente, check.

 

(A sério, ninguém fala da quantidade absurda de acidentes de viação na classe de profissionais de saúde que faz turnos nocturnos e adormece ao volante. É assustador.)

 

Seja como for, por muito barulho que faças, nunca vais acordar ou sequer incomodar o sôtor com quem partilhas a cama. Não te esqueças, para um médico ou médica dormir é sempre melhor que não dormir. Mesmo que seja numa cama de espinhos, com fogo por baixo e Iran Costa a tocar em loop contínuo. Por isso não temas!

 

3 – Para nós nunca serás desinteressante

 

As pessoas têm a mania de olhar para o médico como um ser intelectualmente superior que só se satisfaz com a conversa mais erudita e o tema mais complexo possível, mas isso é falso. A sério, depois de doze horas a falar sobre fecalomas, PCR’s e a analisar a cor e consistência da expectoração de velhinhos, a última coisa sobre a qual nos vai apetecer falar quando chegamos a casa é Medicina. Ou qualquer outro tema intelectualmente denso, por sinal.

 

Queres falar sobre o Love on Top? Óptimo, conta-me o que é que a Jessica fez à Soraia. Queres falar sobre o Benfica? Por favor, diz-me em que minuto ficou por marcar o fora-de-jogo. Queres contar-me sobre a nova namorada do Justin Bieber? Força e por favor diz-me que ele e a Selena Gomez reataram.

 

A sério, tudo menos nhanhas e úlceras.

 

4 – Terás tempo para ti

 

Pois é, eu gosto sempre de desmistificar ideias pré-concebidas em relação à classe médica mas em relação a esta não há muito a fazer. Se casares com um médico ou médica posso-te garantir que terás imenso tempo para ti. Claro que se fores uma pessoa muito dependente isso pode ser um bocadinho aborrecido. Mas pensa lá bem, quem é que quer passar dezasseis horas por dia com uma alma penada olheirenta que mais não faz do que bocejar e praguejar porque é mal pago e não tem tempo para nada?

 

Além do mais, com todo esse tempo livre poderás dedicar-te a um sem número de hobbies. Pintura, escultura, enologia, aulas privadas de yoga com o teu personal trainer... Tudo a que tens direito, o mundo é a tua concha! Terás toda uma energia renovada para receberes de braços abertos ou teu ou tua cavaleiro/a andante quando ele chegar a casa às oito da noite depois de dez horas a trabalhar e duas no trânsito.

 

5 – Terás consultas à borla

 

A razão mais óbvia fica para o fim. Esta não é surpresa para ninguém. Imagina que tens um daqueles sinais esquisitos nas costas e queres que alguém dê uma vista de olhos mas não tens fundos para pagar cem euros a um Dermatologista. Ou imagina que algum sítio do teu corpo está a deitar algum tipo de líquido ou substância que não devia e tens demasiada vergonha para te expores perante um estranho. A tua solução é ter um médico em permanência no teu domicílio! É igual à Saúde 24, só que funciona bem melhor e efectivamente evita que vás à urgência, coisa que a Saúde 24 raramente faz.

 

Nada do que tu lhe mostres o/a vai enojar. A sério, podes ter a certeza que ele/ela já viu, sentiu ou cheirou coisas dez vezes piores do que tu alguma vez experienciaste nos teus piores pesadelos. O que para ti é uma mancha nojenta ou um corrimento repugnante, para ele é apenas another day at the office. Lembra-te só de não exagerar nos pedidos de observação, para não infringires o tópico 3 deste artigo.

 

Convenci-te? Então toca a procurar um sôtor para casar, vamos! E se te lembrares de mais algum bom motivo para casar com um espécime destes, usa a caixa de comentários a teu bel-prazer. Um bem-haja! E lembra-te:

 

meme médicos altar.jpg

 

 

  • 6 comentários

    Comentar post